Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais - Escola Politécnica da Universidade de São PauloPOLI/USP

Graduação

Engenharia de Materiais

A revolução que nos últimos anos tem ocorrido no campo da ciência e engenharia de materiais, manifestada por importantes inovações tecnológicas em praticamente todos os setores de atividade humana e, particularmente, no de computação, telecomunicação, transporte e saúde tem levado a maioria das universidades e instituições de pesquisa a ampliar o escopo de atuação com relação a esse campo.

O desenvolvimento da Engenharia de Materiais tem sido muito forte na área de nanomateriais, definidos como materiais constituídos de grãos ou partículas com aspectos morfológicos menores que um décimo de um micrômetro em pelo menos uma dimensão.

O campo de atuação do Engenheiro(a) de Materiais abrange os materiais metálicos, poliméricos, cerâmicos e materiais compósitos, nos aspectos de caracterização de propriedades, processos de fabricação e aplicações, assim como a análise, criação e desenvolvimento de novos produtos.

Ao lado do estudo dos materiais em si, é essencial o entendimento dos fundamentos dos processos de fabricação. Os materiais constituem os recursos através dos quais são implementados os mais diversos projetos de Engenharia, nos quais o Engenheiro(a) de Materiais encontra amplo campo de atuação. Deste modo os estudantes do curso adquirem conhecimentos teóricos e práticos que enfatizam as relações entre microestrutura, processa­mento, propriedades e o consequente desempenho do material em serviço.

Engenharia Metalúrgica

Com mais de 50 anos de existência no campo da metalurgia brasileira, o Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais consolidou uma posição de destaque, constituindo-se num dos focos de formação de recursos humanos de alto nível. Esse fato é evidenciado pelo elevado número de profissionais formados por este Departamento ocupando cargos de primeiro escalão tanto na indústria como no campo de pesquisa e desenvolvimento.

Seus formados têm tido participação em órgãos de planejamento governamentais e em associações técnicas responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento da indústria metalúrgica nacional. A atuação do Engenheiro(a) Metalurgista cobre o extenso campo que vai desde o desenvolvimento e otimização de processos de redução de minérios e produção primária de metais até o acabamento de peças e montagem de componentes.

A formação do Metalurgista cobre três campos: metalurgia extrativa (processos de produção primária de metais e refino de metais e ligas metálicas), metalurgia de transformação (conformação mecânica, fundição, tratamentos térmicos, tratamentos superficiais, soldagem, metalurgia do pó, etc.) e metalurgia física (trata dos fenômenos físicos e transformações que ocorrem nos metais e ligas e correlaciona a estrutura dos materiais metálicos com suas propriedades).